Seja bem vindo! O Pinguim é o seu anfitrião!

Aqui você encontra aulas de música, crônicas do dia a dia e a tira Mondo Penguim. Utilize a seção "Marcadores" ao lado para ir direto ao que lhe interessa.

E fique à vontade! A casa é sua!

domingo, 16 de agosto de 2009

A Psicologia dos Acordes - o Segredo da Terça


Porque os acordes são o que são? Uns são menores, outros são maiores e por aí vai. O que os diferencia? O segredo está numa coisa mágica chamada intervalo de terça.

Um intervalo é a distância entre duas notas e é medida em tons. Assim, entre Dó e Ré, por exemplo, existe um tom de distância (ou intervalo). Entre Ré e Mi, também existe um tom de distância. As notas mudam mas o intervalo é o mesmo. Existe um intervalo de um tom entre todas as notas, exceto entre Mi e Fá e entre Si e Dó, conforme mostrado no esquema abaixo:


Não me pergunte porque os intervalos entre Mi/Fá e Si/Dó são só de meio tom. Para eles, a vida é mais difícil :-)

Brincadeiras à parte, como você já deve estar imaginando, podemos dividir um intervalo de um tom em dois intervalos de meio tom. Assim, se entre Dó e Ré temos um tom, podemos dividi-lo ao meio e teremos mais uma nota entre eles. Se você estiver "andando" do Dó em direção ao Ré, essa nota se chamará Dó sustenido (Dó#). Mas se você "está vindo" do Ré para o Dó, então, a mesma nota entre eles será chamada Ré bemol (Réb). Fica claro então que o sinal "b" ou "#" ao lado de uma nota, significa que aquela nota não é mais ela e sim uma nota meio tom acima ou abaixo dela.


Ainda bem que inventaram esses sinais. Imagine se as "notas entre as notas" tivessem cada uma o seu nome!

Toda essa introdução foi necessária para falar do intervalo de terça que é o alvo da nossa "aula" de hoje.

Um intervalo de terça pode ser maior ou menor, de acordo com o seguinte:

- Intervalo de Terça Maior: 2 tons

- Intervalo de Terça Menor: 1 tom e meio

Vamos citar exemplos. De Dó a Mi, temos um intervalo de terça maior porque precisamente existe a distância de dois tons entre essas notas. Já entre Ré e Fá
temos uma terça menor de intervalo porque a distância entre eles é de um tom e meio. Simples assim.

Tá, e o que eu faço com isso? O segredo é que os acordes são formados por intervalos de terça. Vamos chamar as terças maiores de 3M e as menores de 3m, só para facilitar. Vamos fazer um acorde a partir da nota dó. Se colocarmos notas com intervalos de 3M e 3m respectivamente, teremos:

DÓ MI SOL

Ou seja, entre Dó e Mi, temos uma 3M e entre Mi e Sol, uma 3m. Se um acorde tem essa característica, então temos um acorde maior (no caso, como a primeira nota do acorde é dó, temos dó maior).

Mas e se invertermos a disposição dos intervalos, fazendo assim: 3m e 3M? Ficará assim:

DÓ MIb SOL

Desse jeito temos um acorde menor (no caso, dó menor). Vamos continuar brincando. Que tal 3M e 3M?

DÓ MI SOL#

Acabamos de criar um acorde aumentado. Só faltou 3m e 3m.

DÓ MIb SOLb

Esse é um acorde diminuto (dó diminuto, nesse caso).

O assunto sobre intervalos e acordes é muito vasto e fascinante. Ainda vamos falar muito sobre isso nesse espaço. Passe a observar os acordes que você faz. Observe bem os intervalos entre as notas. São os intervalos que fazem os acordes serem o que são e, entendê-los, é o grande desafio para você que quer se tornar um excelente músico.

Não deixe de escrever caso tenha dúvidas. Deus o abençoe e bons estudos!

11 comentários:

The Keymaster disse...

E ai Alessandro! Valeu pelo comentário lá no blog, eu divido a postagem dele com um grande amigo meu Guitarrista.

Se você tem interesse em incorporar coisas novas no teu som gospel realmente o Jordan Rudess é uma ótima fonte.

Se te interessar, procure escutar os CDs solo dele, são muito bons e complexos.

Recomendo um de 2004 chamado "rhythm of time".

Também, recomendo um CD de um quarteto em que ele toca chamado "Liquid Tension Experiment 2". Esse CD é bem fusion/jazz/metal. Tem muita coisa bacana.

Na área do gospel eu curto bastante o estilo do Jean Carllos do Oficina G3, se você prestar atenção ele se inspira bastante no Jordan.

Abraços! Fique com Deus você também!

The Keymaster disse...

À propósito, O Jordan e a banda dele nada tem de metal melódico...hehehe

O som deles é progressivo ;)

Alessandro disse...

Isso é pra você ver como eu entendo de metal... :)

E obrigado pelas dicas.

Um grande abraço!

Adriana Rangel disse...

Ola! Vim conhecer seu blog..parabens! Otimas dicas. Deus o abencoe!

Alessandro disse...

Obrigado pela visita, Adriana!

marcelo disse...

oi alessandro
excelente as explicações de teoria
mas vc podia fazer umas aulinhas tb pra galera q jah está um pouquinho mais avançada
algo interessante pra galerinha que tá começando e mesmo pra quem já tem alguma experiência creio que seria algo sobre ritmo, como treinar ritmo, pra ficar algo consistente...
abçs

Alessandro disse...

Grande Marcelo,

Obrigado pela sugestão. Eu já estava mesmo pensando em fazer algo do tipo.

Um abraço!

Marcílio disse...

Alessandro, parabéns pelo blog e pelas aulas! As informações que eu captei por aqui me ajudarão bastante neste início de aprendizado. Sugiro a você disponibilizar junto com as explicações teóricas exercícios para praticar a explicação. Sucesso e fique na paz!

Alessandro disse...

Marcílio,

Obrigado pela sugestão. As sugestões sempre me ajudam a saber como preparar as "aulas".

Um abraço e que Deus te abençoe!

Anônimo disse...

e ai meu irmãozinho ?
muito fera , estou dando uma revisada no que sei com suas dicas
e sobre E e F ter meio ton de diferenças acho que é por causa do ciculo das quintas na construção das escalas
me corrija se estiver errado
falouuuu

Alessandro disse...

Obrigado por ler essas dicas. Gostaria de poder voltar a atualizar o blog com mais dicas ainda porque percebo que muita gente se beneficia com elas.

Quanto ao intervalo entre E e F, nunca tinha pensado do jeito que você colocou. Pode ser por isso sim.

Um grande abraço e escreva sempre que quiser!